Fotografo: Ascom/FMS
...
Dia D da campanha de vacinação para jovens entre 20 e 29 anos

Até as 17h de hoje (30), 26 salas de vacina em todas as zonas da cidade estarão abertas para imunizar contra o sarampo. É o dia D da segunda etapa da Campanha Nacional, que desta vez abrange os jovens adultos na faixa dos 20 a 29 anos.

A campanha visa a atualização das cadernetas daqueles que não têm duas doses da tríplice viral, vacina que além do sarampo protege contra caxumba e rubéola. “Entre os adultos, o grupo dos 20 aos 29 anos é o que mais adoece de sarampo, então é preciso que estas pessoas tenham atitude e compromisso com a saúde e se vacinem”, alerta Amariles Borba, gerente de Vigilância em Saúde da Fundação Municipal de Saúde (FMS). “Lembramos também que além do sarampo eles também precisam se proteger contra a caxumba, doença que já tem registro de mais de 98 casos só em 2019 e que pode causar consequências graves como a infertilidade”, disse a diretora.

Ela explica ainda que, caso a pessoa não tenha ou não saiba onde está sua caderneta de vacinação, ela será aconselhada a iniciar o esquema novamente, tomando a primeira dose hoje e a segunda após 30 dias. Este não foi o caso de Samuel Eufrásio, de 25 anos, que contou com a ajuda da mãe para localizar sua caderneta para que pudesse levar à unidade. “Eu vi sobre os casos na televisão e comecei a me preocupar, por isso estou aqui hoje”, comenta o jovem.

Mesmo após a campanha, todas as salas de vacina do município seguem contando com a vacina para imunizar todas a população, de acordo com as especificações de cada faixa etária. “Pedimos que os pais estejam atentos à situação vacinal das crianças, pois até o momento alcançamos 63% da meta para crianças acima de um ano e 73% para as de seis meses a um ano”, alerta Amariles Borba.

O sarampo é uma doença causada por um vírus, transmitido quando alguém doente tosse, fala, espirra ou respira perto de outras pessoas. Tem sintomas similares ao de enfermidades respiratórias: febre com tosse, irritação nos olhos, nariz escorrendo ou entupido e mal-estar intenso. Cerca de três a cinco dias depois, podem aparecer outros sinais, como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas, que se espalham pelo corpo.

O Sarampo tem acometido o país após anos sendo considerada uma doença erradicada no Brasil. “Uma vez que não vemos casos da doença, nossa tendência é relaxarmos na prevenção e esquecermos de ter nossos esquemas vacinais completos. Precisamos entender que este é um problema de saúde pública combatido não apenas no Brasil como em todo o mundo”, diz Amparo Salmito, gerente de epidemiologia da FMS. Somente no Piauí, oito casos já foram confirmados, sendo um considerado autóctone (ou seja, com origem no próprio estado) no município de Lagoa do Sítio, a 242km de Teresina.