Fotografo: Neide Makiko Fukukawa
...
No Piauí, a produção de soja teve um recuo de 5,82% em 2019

O aplicativo Nutri Meio-Norte, lançado em maio deste ano, é uma importante ferramenta para os produtores de soja do Piauí e Maranhão implementarem o plantio da safra 2020. A semeadura de soja nesses dois estados sempre acontece de outubro a fevereiro, dependendo do volume de chuvas.

Primeira do gênero desenvolvido na Embrapa, a tecnologia traz rapidez, economia e precisão na gestão de uma lavoura de soja, pois a cultura precisa de insumos cotados em dólar. O Nutri Meio-Norte permite, a partir da análise foliar, conhecer a fertilização adequada para o cultivo da soja, mostrando os dados nutricionais das plantas, como os nutrientes em excesso e outros com deficiência, gerando o desequilíbrio nutricional.

O manejo da tecnologia é simples, como explica o pesquisador Henrique Antunes, que gerencia a plataforma.  "Primeiro, o produtor tem que realizar uma análise foliar da lavoura, feita por um laboratório especializado. Após abrir o aplicativo, o agricultor deverá inserir na página análise foliar dados obtidos na análise laboratorial das amostras de sua lavoura, como as quantidades dos macro e micronutrientes encontrados. Depois, ele deve escolher o método de análise DRIS ou CND e clicar no botão enviar”.

Logo em seguida, aparecerão os índices nutricionais em formato de gráficos de barra e radar. Ele deve clicar, então, em “gerar relatório” para abrir um formulário a ser preenchido sobre dados da propriedade, em talhão ou lavoura, como área plantada, data da coleta da folha diagnóstica e algum manejo realizado na área. Para finalizar, o produtor deve clicar em “baixar”. Com isso, os resultados gerados são armazenados no dispositivo em forma de relatório que poderá ser compartilhado por e-mail ou programas de mensagens, como o WhatsApp.

O aplicativo está  disponível gratuitamente na internet (https://www.embrapa.br/meio-norte/nutri-meio-norte) para os sistema Android (Play Store) e iOS (App Store), e é indicado para o Maranhão e o Piauí, pois o banco de dados que deu origem à ferramenta possui  amostras desses dois estados.

Produção no Meio-Norte

Em 2019, a produção de soja no Maranhão avançou de 2,7 milhões de toneladas para 2,8 milhões de toneladas, numa colhida de 765.844 hectares, segundo o Levantamento Sistemático de Produção Agrícola do IBGE. Já o Piauí, recuou a produção em 5,82%. Este ano o Estado alcançou uma produção de 2,3 milhões de toneladas, em 765.944 hectares. Em 2018, numa área de 711.123 hectares, a produção piauiense foi de 2,4 milhões de toneladas de soja. 

De acordo ainda com o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola do IBGE, divulgado nesta terça-feira 10, em Teresina, a participação da soja na produção de grãos no Piauí este ano foi de 52,62%. O milho ficou em segundo lugar com 41,53%. As demais culturas ficaram nas seguintes posições: feijão – 1,78%, arroz -177%, sorgo – 1,42% e algodão herbáceo – 0,87%.

Fernando Sinimbu (654 MTb/PI)
Embrapa Meio-Norte