Fotografo: Divulgação
...
Ciência no Prato

Oito pratos com ingredientes a partir de ativos tecnológicos gerados pela Embrapa, formam o menu do Ciência no Prato, segmento do AGTech Meio-Norte Inovação para o Agro, que acontecerá de três a cinco de setembro deste ano, em Teresina. Nessa programação, sempre a partir das 14 horas,  os pesquisadores detalham as tecnologias enquanto são preparadas as iguarias para degustação.

Raul Godoy em ação num restaurante de São Paulo - Foto: Lu Borges

A programação começa com Mariana Moraes e Herivelton Soares, professores do curso de gastronomia do Instituto Federal de Educação do Piauí. Eles vão preparar e servir os seguintes pratos: Salada de alface com vagens de feijão-caupi, Pão de forma de feijão-caupi, Croutôns de feijão-caupi, Brigadeiro de biomassa da banana verde com grilo, Suco detox com algas e Variação do rubacão com feijão-caupi e tenébrios.

Em seguida, a partir das 16 horas, entra em campo o chef paulistano Raul Godoy, de 30 anos, um dos astros da gastronomia nacional. Com passagem por restaurantes como o Bio, em São Paulo, e Casa Malevo, em Londres, Godoy, que tem 13 anos de maratonas na cozinha, vai elaborar e servir os seguintes pratos: Bolinho de capitão com camarão marinho e salada de algas e Cabra nativa em três texturas com pirão de leite.

Inovação aberta

O AGTech Meio-Norte terá como segmentos também a V Jornada Científica, reunindo trabalhos de estudantes e bolsistas que participaram de projetos na Embrapa e em outras instituições; e o Ideas for Farm, que é o  desafio de inovação aberto para uma pessoa, individualmente, ou em grupo de até quatro profissionais, buscando eliminar gargalos da agropecuária sustentável, especificamente nas áreas da apicultura, avicultura e Sistema Integrado de produção de alimentos (Sisteminha Embrapa). O regulamento está no endereço  https://www.embrapa.br/meio-norte/agtech-ideas-for-farm. A ideia pode ser inscrita até o dia 15 de agosto.

É segmento também do evento o Ciência Ativa, nos dias três e quatro, em uma tenda de cerca de 20 metros quadrados e nas vitrines tecnológicas vivas, com 100 metros quadrados,  onde as pessoas vão poder conhecer aspectos interessantes da fruticultura aos cruzamentos que deram origem ao boi Tropical. No dia três, começando sempre às 14 horas, o Ciência Ativa vai destacar na tenda o inseticida botânico, o bacuri e a cajá, que têm grandes perspectivas de negócios, a piscicultura e a integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), um ativo que dobra a produção e a renda numa mesma área.

Simultaneamente, na primeira vitrine viva, também começando às 14 horas, serão apresentadas as tecnologias sobre criação de insetos, apicultura, Sisteminha Embrapa, inseticidada botânico e ovinocaprinocultura. Aqui, as orientações terminam às 17:10 horas. No dia quatro, às 14 horas, na tenda, o destaque será para a agricultura peri-urbana e de precisão, internet das coisas e solos. Na mesma quarta-feira 4, a partir das 14 e indo até às 17:10 horas, o esforço será na segunda vitrine viva com orientações sobre galinha caipira, mandioca, feijão-caupi biofortificado e boi Tropical.

Fernando Sinimbu (654 MTb/PI)
Embrapa Meio-Norte