Fotografo: Gilson Teixeira/Secap
...
Investimentos do governo ajudam a potencializar produção na Grande Ilha.

Fortalecer a produção da Agricultura Familiar é uma das prerrogativas do Governo do Estado, que tem garantido condições para produção e comercialização através de programas, convênios e políticas públicas. Além do interior do Maranhão, a Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF) tem diversas ações na zona rural e região metropolitana de São Luís, sejam por meio de cursos e qualificações ou por oferta de suporte técnico e convênios que ajudam a aumentar e melhorar a produção.

Para tanto, na região metropolitana já são 1.109 famílias beneficiadas, com convênios que permitem a aquisição de caminhões para transporte e comercialização dos produtos, apoio em projetos de pesca artesanal ou suporte técnico para potencialização da produção. Em São José de Ribamar são 178 famílias atendidas por esses projetos, 20 na Raposa e 911 na região rural de São Luís.

Por conta dessas ações de apoio do Governo do Estado, a agricultura familiar vem crescendo e conquistando espaços no Maranhão. “Com o incentivo da gestão do governador Flávio Dino, podemos oferecer ao nosso agricultor a qualificação da gestão, apoio ao fortalecimento e a inserção de organizações econômicas da agricultura familiar nos mercados institucionais públicos e privados e, consequentemente, consolidar a participação do agricultor como competidor no mercado”, afirmou o secretário de Agriculura Familiar, Adelmo Soares.

Para o governador Flávio Dino, é preciso aumentar a produção de alimento no Maranhão para, em primeiro lugar, dinamizar a economia, mediante a formação de um mercado consumidor de massas que ajude, inclusive, a outros setores, como comércio, indústria, setor de serviços. Dessa forma, investimentos são realizados sistematicamente, mudando a vida das famílias e a cara da economia do estado.

A Associação Rural São Braz e Macacos, de São José de Ribamar, é uma dessas que, aos poucos, vai melhorando as condições de produção da comunidade onde está inserida através do incentivo do Governo do Estado. Um convênio firmando permitiu a aquisição de um caminhão para transportar os produtos da agricultura produzidos pela comunidade.

Seu José de Ribamar Alves é presidente da Associação São Braz e Macacos e explica que, no decorrer dos anos, várias famílias da comunidade foram deixando de lado o plantio de hortaliça por conta da falta de incentivos. Agora, com a aquisição do caminhão, deve resgatar a produção e beneficiar cerca de 89 famílias.

“O caminhão deve trazer estímulo para a produção agrícola, vai motivar as famílias a voltarem à produção de hortaliças. Temos um caminhão para levar nossas encomendas todos os dias para as feiras”, explicou seu Ribamar, lembrando que agora estão providenciando habilitação para outras pessoas da comunidade para conduzir o caminhão.

Além de garantir condições para comercialização, o Governo do Estado se preocupa em levar conhecimento ao homem do campo. Numa dessas ações, a SAF realizou o Curso de Capacitação Agrofloresta – Sítio Semente, no assentamento Cinturão Verde, zona rural de São Luís. A capacitação contemplou agricultores familiares, em especial mulheres camponesas pelo projeto MAES (Módulos Agroecológicos Sucessionais).  Esse projeto reúne famílias de agricultores e oferece condições para a produção e comercialização de alimentos orgânicos em sistemas agroflorestais.

A capacitação contou com parte teórica, com apresentação do projeto, e na parte prática os instrutores deram orientações sobre a limpeza da área escolhida em regime de mutirão e sobre o preparo adequado da terra e plantio. Dona Maria Mercês participou do curso e ficou agradecida com a oportunidade.

“Foi muito importante, abriu novos horizontes. A gente já trabalhava com agricultura e plantio de hortaliças e agora há um novo caminho, podemos produzir longe de venenos e agrotóxicos”, pontuou Maria, que reside no assentamento Cinturão Verde – que tem uma área de aproximadamente 383 hectares, onde moram mais de 80 famílias exercendo atividades agrícolas, produzindo hortaliças e plantas frutíferas e ainda comercializando nas principais feiras da capital.

Investimentos nos Agropolos da Ilha

Além do trabalho com os agricultores familiares, o Governo também está investindo na criação do Agropolo da Ilha. A iniciativa da Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), garantiu a instalação de 40 Unidades de Referência de Produção (URPs) do Agropolo da Ilha, nos municípios de São Luís, Raposa, São José de Ribamar e Paço do Lumiar.

As 40 URPs do Agropolo produzem, atualmente, 150,6 toneladas de hortifrutis, como maxixe, quiabo, limão, macaxeira, cupuaçu, manga, maracujá, mamão, pepino e banana, além de 359.300 espigas de milho e milhares de maços de coentro, vinagreira, alface, couve e cebolinha. Esses produtos já abastecem supermercados maranhenses, gerando emprego e melhorando a renda.

O próximo passo do programa é a implantação, no Agropolo da Ilha, de unidades experimentais de captação de energia solar para irrigação, que alia sustentabilidade, economia e incentivo à produção.