Fotografo: Fátima Oliveira
...
Mutirão no HGV

Da CCOM, com informações de HGV

O Hospital Getúlio Vargas (HGV) realizou 20 cirurgias neste sábado (6), cerca de 30% em pacientes idosos vítimas de acidentes domésticos na sua própria residência. A Ação fez parte de um esforço conjunto da Secretaria de Estado da Saúde e HGV para agilizar o atendimento de pacientes tanto de hospitais do interior quanto da capital.


A diretora geral do HGV, Clara Leal, destaca que os Mutirões têm contribuído para diminuir o tempo de espera dos pacientes para um procedimento no HGV. “Atualmente estamos realizando uma média de 1.100 cirurgias mês, o que tem contribuído para redução desse tempo de espera. Também realizamos um melhor planejamento no Centro Cirúrgico o que possibilitou uma rotatividade melhor das salas cirúrgicas. Tudo isso, para que haja um volume maior de procedimentos e, com isso, agilizar o atendimento do paciente”, explica a diretora

Dos 59 pacientes que estavam na Lista da Regulação, no período de 9 de julho a 4 de agosto, 17 eram idosos, sendo 11 do sexo feminino.  A meta é que todos sejam operados.

A idosa de 110 anos, Raimunda Braz já foi operada e passa bem. Lúcida e muito ativa, D. Raimunda fala que está ansiosa para sair do Hospital e ir para casa. Por conta da idade avançada, D. Raimunda foi operada na quinta-feira (4) e já está de alta.

Segundo dados do Sistema de Gestão Hospitalar do HGV, nos últimos cinco meses (março a julho), já deram entrada no Hospital, 290 idosos. A maioria com fraturas vítimas de traumas domésticos.

A equipe que trabalhou neste sábado foi composta pelo coordenador da Clínica ortopédica, Wilson Rodrigues, os cirurgiões ortopédicos José Sampaio, Raul Macêdo, Joel Campos e Neomar Soares.  Os anestesistas Alexandre Nolêto e José Miguel. Os enfermeiros Francisco das Chagas Pereira, Maria de Jesus Ferreira e Maria Luisa. Além de 20 técnicas, entre elas, Rosailda Almeida, Edna Fontenele, Fatima Sobrinha e Helena Duarte.