Fotografo: Rômulo Piauilino
...
Àreas com risco de alagamento em Teresina

O prefeito Firmino Filho tem acompanhado de perto a situação das cheias dos rios em Teresina. Na manhã deste sábado (06), ele visitou alguns pontos da cidade onde a situação é mais crítica, com grande risco de alagamento, e avaliou as medidas adotadas pelas equipes da Prefeitura junto às famílias atingidas.

Por precaução, as famílias de comunidades ribeirinhas foram orientadas a deixar suas casas depois que o Rio Poti atingiu a cota de inundação, que é de 10 metros.

“A chuva na capital já passa dos 300 milímetros neste mês de abril. Então, é preciso que as comunidades ribeirinhas permaneçam em estado de alerta. A previsão é que o Poti aumente um pouco o nível, mas logo deve estabilizar, segundo a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM). Mesmo assim, é preciso manter as ações de monitoramento, porque há previsão de mais chuva e os nossos rios recebem muita água”, disse o prefeito.

Algumas regiões da cidade registram pontos de alagamento. Na zona Norte, o bairro Risoleta Neves é um dos mais atingidos. A Vila Ferroviária, no Centro Norte, também merece atenção. O prefeito foi até o local mais afetado nesta região, próximo ao prolongamento da avenida Marechal Castelo Branco, e verificou o aumento do nível de água do Rio Poti.

Na zona Sudeste, as áreas da Vila Verde, Vila Pantanal, Vila da Guia, Washington Feitosa, Curva São Paulo, Beira Rio, Jardim Europa e Assentamento Nova Esperança, estão em alerta e algumas famílias foram removidas das casas e realocadas.

“Começamos a atuar preventivamente no dia de ontem, retirando mais de 100 famílias das áreas de risco e evitando que elas tivessem algum problema posterior com a chegada da cheia do rio”, explica Evandro Hidd, superintendente da SDU Sudeste. As famílias estão sendo cadastradas e atendidas dentro dos programas Cidade Solidária e Família Acolhedora.