Teresina(PI), Domingo, 29 de Novembro de 2020 - 10:03
22/10/2020 as 15:55 | Por Ascom Semar | 282
Semar debate estruturação do Parque Estadual do Cânion do Rio Poti
O Plano de Manejo e a indenização da área são os primeiros passos para o processo de estruturação da Unidade de Conservação
Fotografo: Divulgação
Parque Estadual do Cânion do Rio Poti

A Câmara de Compensação Ambiental (CCA) da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Piauí (Semar) se reuniu, na manhã desta quarta (21), para discutir, entre outros assuntos, a viabilização da estruturação e indenização do Parque Estadual do Cânion do Rio Poti. A Câmara de Compensação Ambiental é um fórum para a tomada de decisões relacionadas à aplicação e uso dos recursos de Compensação Ambiental advindos do processo de Licenciamento.
“Os Planos de Manejo e a indenização da área são os primeiros passos para o processo de estruturação das Unidades de Conservação (UCs) do nosso estado. Esses planos servirão de base para a implementação das estruturas e dos programas nas UCs estaduais”, acrescenta a Secretária de Meio Ambiente, Sádia Castro.

Secretária de Estado do Meio Ambiente, Sádia Castro – foto: Moura Alves/Ascom Semar

Criado por meio do Decreto Estadual n° 17.429/2017, o Parque Estadual do Cânion do Rio Poti fica localizado no município de Buriti dos Montes e preserva fragmentos de caatinga com inúmeras espécies da flora nordestina sendo, também, habitat de diversas espécies da fauna.

Parque Estadual do Cânion do Rio Poti

O Parque Estadual do Cânion do Rio Poti protege um dos principais trechos do Cânion do Rio Poti (Canalão), abrigando uma feição geomorfológica de extrema beleza caracterizada por grandes desfiladeiros, onde a diferença entre o fundo da calha fluvial e o topo do planalto é bastante expressiva. A área também abriga sítios de gravuras rupestres, sendo estas gravuras de grande relevância antropológica.

“A Semar vem trabalhando na ampla estruturação das unidades de conservação do estado. A intenção é que elas possam ser referência para a promoção do ecoturismo, para a pesquisa científica, para programas de educação ambiental e atividades que gerem desenvolvimento social e econômico de maneira sustentável”, acrescenta Sádia Castro, Secretária de Meio Ambiente.




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil