Fotografo: Divulgação
...
Dunas no Delta do Parnaíba

O turismo foi um dos setores mais afetados com a pandemia do novo coronavírus. Pensando nisso, empresários do trade que compõe a Rota das Emoções no Piauí se articulam para a retomada do destino que integra ainda os estados vizinhos Ceará e Maranhão e é considerado um dos mais famosos do país.

A Rota das Emoções engloba 14 cidades, além de áreas de proteção como o Delta do Parnaíba, entre Piauí e Maranhão; o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses e o Parque Nacional de Jericoacoara, no litoral oeste cearense.

Os empresários se mostram confiantes para dar continuidade ao trabalho. “Nós estamos em um momento muito difícil, mas tenho certeza que vamos voltar com muita força. Nós somos um grupo forte e estamos aproveitando esse momento para irmos nos repaginando, estabelecendo protocolos de higiene e segurança”, frisa o empresário do ramo hoteleiro em Barra Grande, Roberto Zigert.

Revoada dos Guarás – Delta do Parnaíba

“O cenário de sol e praia, longe de toda aglomeração, será um dos pontos para a procura dos turistas pela rota. Estamos conversando, buscando nos alinhar para a retomada ser um sucesso assim como sempre foi. Recentemente nos unimos e trabalhamos a divulgação de um vídeo que mostra tudo que a Rota das Emoções tem de melhor e será impossível não se emocionar”, ressalta o empresário do setor de agências, José Roberto Piovan.

O secretário de Estado do Turismo, Flávio Nogueira Júnior, ressalta que, na prática, viagens só serão realizadas com segurança, depois que órgãos nacionais e internacionais, como o Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde (OMS), indicarem que é seguro, mas reforça sobre as previsões de retorno.

“Temos conversado com representantes de outros estados, do governo federal e, por enquanto, a previsão é que o turismo terá sua retomada em fases, sendo a primeira para julho, voltando com o turismo regional, aquele que se utiliza o carro próprio, dentro de seu estado, a partir de outubro a previsão de turismo nacional, com a volta dos voos dentro do país. Já o turismo internacional, acreditamos realmente que só volta em 2021”, finaliza o gestor.